Jim Morrison, Zeus !

Jim Morrison, Zeus !

“Não devo temer.
O medo é a mente do assassino.
O medo é a pequena morte que traz a destruição total.
Vou enfrentar o meu medo.
Eu vou permitir que ele passe por cima de mim e através de mim.
E quando ele passar, eu ficarei com o olho interior para ver seu caminho.
Quando o medo se for não haverá nada …. só eu permanecerei “

Cidades Invisíveis – Ítalo Calvino

“O inferno dos vivos não é algo que será: se existe um, é o que já está aqui, o inferno em que vivemos todos os dias, que formamos estando juntos. Há duas maneiras de não sofrê-lo. A primeira é fácil para muitos: aceitar o inferno e se tornar parte dele a ponto de não conseguirmos mais vê-lo. A segunda é arriscada e exige vigilância e preocupação constantes: procurar e saber reconhecer quem e o quê, no meio do inferno, não são inferno, e fazê-los durar, dar-lhes espaço.”

Cidades Invisíveis – Ítalo Calvino

Recomeçar

“Recomeça…
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.
E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.”

“Sísifo” – Miguel Torga – um dos mais influentes poetas e escritores portugueses do século XX em Diário XIII – 1977.Imagem

Mario Quintana , 20 anos de saudades do poeta que se alimentava de amores e vivências! – 30/07/1906 – 05/05/1994

Mario Quintana , 20 anos de saudades do poeta que se alimentava de amores e vivências! - 30/07/1906 - 05/05/1994

O AUTORRETRATO
No retrato que me faço
– traço a traço –
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore…
às vezes me pinto coisas
de que nem há mais lembrança…
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão…
e, desta lida, em que busco
– pouco a pouco –
minha eterna semelhança,
no final, que restará?
Um desenho de criança…
Corrigido por um louco!